quinta-feira, 14 de junho de 2007

A Prata da Casa

Pesava-me. Doía-me. E sangrava frequentemente. Para lhe acalmar as tormentas, segurava-o com as mãos. Mas bastava qualquer surpresa, um pouco mais forte, para que o deixasse cair.
Esta fragilidade oprimia-me. Constrangia-me. Não sabia o que lhe havia de fazer. Onde o colocar. Como lhe tocar. Ou deixar que lhe tocassem, mesmo ao de leve. Ou se confiá-lo a alguém merecedor. Se tal existia. Era preciso dar-lhe um rumo. Arrumá-lo.
E um dia a resposta chegou. Fi-lo atravessar uma corrente de prata e prendi-a em volta do pescoço. Agora pende-me sobre o peito e dali não mais sairá. Está seguro, até que eu o perca, como perco às vezes a cabeça, ou até que a corrente se parta. Aqui fica o meu coração de prata.

3 comentários:

mj disse...

Também não costumo confiar assim o que considero precioso. requer trabalho e coragem. E se alguém parte alguma coisa?
Mas reconheço-me alguma conpetência para, se precisares, assim aos poucos, te poder ir ajudando a segurá-lo, acaso o queiras desarrumar ou se a corrente ficar lassa.
É que estou interessada. Esse coração não é bem prata, é mais de ouro branco, valioso e pesado. Cobiçado, estou certa, por muitos pescoços.

mariana disse...

Miúda...reparei ontem no teu coração ao pescoço. É bom ter o material tão perto do outro. Espero que quando te deites à noite, o faças para o lado esquerdo. Para que os dois se fundam num, e aí seja tudo sublime: material e ideal!

beijosssss

ARN disse...

Querida Su,
eu nem sempre sou arrumadinha, nem organizada...e qd atinjo um nível grande de desarrumação fico triste e durmo mal, n paro de pensar nisso. É certo que essa prata que arrumaste, aí nesse guarda-joias, ainda vai saltar daí e o fio vai partir-se mais umas quantas vezes. Que chatice. Mas pelo menos agora sabes como o arrumar sempre que ele tentar perder-se por aí. Se não souberes, arranjas outra maneira, qual sobrevivente que és. Bj grande, já com saudade.
(E q vida é esta agora? Quando nos vemos? Para onde foram os "fumadores" e a "esplanada amarela"? Raios...)